Férias

segunda-feira, 7 / julho / 2008

Sim, eu sobrevivi. E não sei por que, mas acho que maionese combina com tudo. Pelo menos com tudo que sou capaz de produzir na cozinha. Quer dizer, eu nunca experimentei com Lamen. Fica pra próxima.

Bem, eu tô de férias e por isso eu tô com tempo para escrever. Bem, agora o que escrever é o problema. Não é que nada esteja acontecendo. Eu estou fazendo um curso de férias e vô trabalhar num congresso de que vai ter por aqui.

Aliás eu tô empolgado com esse congresso, pois eu vou fazer parte do apoio técnico. Logo eu que destruí metade dos computadores que tentei consertar. Tá certo até hoje eu só tentei consertar dois computadores (o meu e o de um parente) e o meu continua funcionando que é uma beleza. Enfim se não sair fumaça tá bom.

Apesar disso eu tô com muito tempo livre. O inglês é só de 2ª a 4ª e o treinamento pro congresso é só uma vez por semana. Assim eu tenho pensado em viajar. Sem grana eu só vou até Mosqueiro ( um bélissimo balneário com água turva e poucos coliformes fecais), o que é ruim. Se meus amigos souberem, minha reputação vai ficar manchada pro resto da vida.

Enfim, tô entediado.

Então vou ver se acho alguma coisa pra fazer ou posso terminar um dos milhares de rascunhos de posts.

T+

Anúncios

Férias de Caipira

quarta-feira, 6 / fevereiro / 2008

E tipo houve umas férias em familia. E tipo que a gente foi pra uma cidade mais ou menos perto daqui, umas cidade que tem praia, praia de mar*. Ficando em hotel, bom hotel, recomendaria a um amigo se hospedar lá.

Acontece que quando fui tomar banho, encontrei um chuveiro elétrico. Sim eu sabia que era um chuveiro elétrico, afinal nasci em Belém e já faz mais de 10 anos que a cidade foi eletrificada! Enfim, apesar disto, eu não tenho muito contato com chuveiros elétricos, por aqui nunca são muito necessário já que a temperatura media daqui gira por volta dos 35º, no inverno!

Então, apesar da cidade ter uma temperatura mais amen, o fato é que pra mim não era necessário um chuveiro elétrico. Mas mesmo assim resolvi experimentar. E talvez por falta de costume, eu não achei uma experiencia muito agradável. Pra ser sincero, aquela bosta só faltou derreter minha pele, putz, parecia metal liquido!

E o pior é que eu não encontrei a porcaria do botão pra diminuir a temperatura. Muito menos pra desligar. Assim eu desliguei o chuveiro, esperei esfriar, liguei me molhei, então esquentou e eu tive que repetir o processo (desligar-esfriar-ligar-esquentar) umas 15 vezes até conseguir me lavar completamente. Um tanto cansativo, eu diria.

Claro que depois eu descobrir como desligar aquilo, mas regular que é bom… Pois eu até queria uma agua morna, mas só tinha lava! E claro que eu virei tipo um ET por lá já que eu era o único que tomava banho frio. Mas eu num conseguia entender como é que as pessoas aguentavam banhar-se em chumbo derretido e ainda me zoar por não fazer isso tambem.

Enfim provavelmente a água nem era tão quente, provavelmente dava pra desligar e provavelmente eu sou só um caipira por dentro.

Droga!

*Praia de mar, pode parecer pleonasmo, mas é que aqui no Pará temos um litoral pequeno, em relação com seu tamanho, então é comum tambem tomar banho em rio. E muitos rios tem suas margens arenosas, aí tambem colocam umas barraquinhas e depois uns vendedores de picolé e tcharam, uma praia de rio. Então para diferenciar costumamos dizer praia de mar pra diferenciar ambos.