Falta de Atitude

sexta-feira, 15 / agosto / 2008

Clique para Ampliar

Uma coisa que eu sempre gostei foi desenhar. Não que eu saiba desenhar. Quer dizer eu até sei mas num sou muito bom. Tá dentro do meu Karma de ser mediano. O Humor também não á algo em que me destaque. Na tira acima eu se muito bem que só consigo um sorriso tímido. Mais por reconhcimento do meu esforço do que pela piada em si.

Mas eu estou me desviando do que eu quero dizer. E o que eu quero dizer é que descobri uma excessão ao meu Karma. É, existe algo em que não sou mediano, não, eu sou péssimo, péssimo em tomar atitudes. E o principal motivo de ser péssimo é porque eu raramente tomo alguma atitude em relação a nada na vida.

Eu sempre soube que eu era o culpado pela maior parte dos meus problemas, mas finalmente estou me dando conta que o fato deles ainda não terem sido resolvidos é também minha culpa. Ou melhor, é culpa da minha falta de atitude, quer dizer, dá na mesma, não? Olhando por esse lado, talvez esse meu Karma de ser mediano em tudo se exista apenas porque me faltou atitude pra melhorar.

Agora, pensando nisso, eu vejo a foto da minha turma de formando da 8ª série. Eu não lembro nome de metade das pessoas da foto. Mas eu lembro muito bem da garota sentada em frente a mim, a D. Eu lembro que ela morava perto da minha casa e lembro que voltávamos quase todos os dias juntos. Ela não era lá muito bonita, mais era bem simpática, e até rolava um clima entre a gente, mais eu nunca investi nem tentei nada.

Ao meu lado direito, estava V. H., meu melhor amigo daquele ano. Basicamente a nossa amizade começou porque eu era novato na turma (tinha acabado de me mudar de cidade) e como todos achavam que ele era gay, acabamos fazendo um trabalho juntos simplesmente por exclusão. Foi tão legal que ficamos amigos, mesmo eu tambem pensando que ele era. Depois, quando fui na casa dele, eu acabei percebendo que ele era como eu: faltava algo que o impedia de chegar junto das garotas.

Ele descobriu esse algo durante as férias de julho. Pouco depois eu fui com ele ver uma ótica que fabricava lentes de contato. Ele tinha decidido comprar pela primeira vez. E foi ele que sugeriu que eu também comprasse. Ele teve atitude e se tornou popular. Eu? Só tive a mesma atitude 5 anos depois, no início deste ano. A 8ª série acabou, sobrou uma foto de formatura, e acabei perdendo tanto a possível 1ª namorada, como um grande amigo. Faltou-me atitude pra mantê-los e não vi ela desde a formatura e ele eu só vi uma vez no ano seguinte.

No 1º ano na nova escola, eu conheci A.. Ela era esquisita, cdf, e todos caçoavam dela. Ah, ela também gostava de Legião Urbana. Na minha cabeça, parecíamos feitos um para o outro. Mas eu nunca teria tido atitude se um amigo meu não tivesse me “empurrado”. Então eu pedi pra namorar com ela por telefone. Ela não deve ter sentido muita firmeza, e demorou a responder, mas aceitou. Aí 2 semanas depois nós nem nos falávamos mais. E nenhum dos dois sabia o porquê.

Se eu já não tive muita atitude com Aline, piorou depois. Eu vi meu melhor amigo ficar com a garota que eu gostava e não pude fazer nada. Nem reclamar, nenhum dos dois tinha a menor idéia do que eu sentia. Eu nunca disse pra ninguém.

Assim também eu perdi o contato com meus amigos do Ensino Médio. Às vezes ainda falo com um ou outro no mas só os vejo se nos esbarrarmos por aí. Assim também não consegui nem estágio nem emprego que me pagasse, só monitorias voluntárias e um cargo de Apoio técnico num congresso. Meu currículo é melhor do que o da maioria dos meus colegas. Mas eu não corri atrás. Eles sim. Ele conseguiram estágios ótimos e recebem até bem.

Essa semana eu tomei uma atitude. Normal, de vez em quando eu acabo tomando uma pra variar. No caso eu comprei um uma revista sobre desenho. Pra melhorar minha técnica. Se eu tivesse praticando desde o ano passado quando desenhei aquela acima, eu talvez nem precisasse. Mas o importante foi quando eu estava olhando alguns antigos cadernos de escola à procura de inspiração (sempre que eu tenho uma idéia eu acabo escrevendo em um caderno velho) e folheando um caderno do 2º ano, eu vi minhas anotações, os títulos que eu sempre meio que desenhava as letras só pra que ficasse chamar atenção pra ver se eu estudava depois. E vendo isso, eu fui me lembrando dos amigos, das matérias dos professores e de tudo.

Fiquei nostálgico e escrevendo o texto eu vi a foto da formatura da 8ª o que me deixou mais nostálgico ainda. E refoçou a idéia que me fez escrever esse texto. Eu preciso mudar isso, minha vida foi boa até aqui mas podia ter sido muito melhor se eu não exitasse tanto, de não me faltasse tanta atitude.

Eu sei que só escrever esse texto não vai mudar o que sou, mas espero que fique como um marco, um ponto para o qual eu olhe sempre que fraquejar. Talvez não funcione, talvez eu acorde amanhã com vontade de apagar esse texto, mas eu tinha que escrevê-lo. É tão raro eu tomar alguma atitude que mesmo que seja ruim ou inútil é melhor eu fazê-la. Pelo menos pra praticar, sabe?

Anúncios