A viagem, parte 2: One day on Manaus!

quarta-feira, 22 / agosto / 2007

Continuando de onde parei vamos para o próximo dia, quando cheguei em Manaus…

Dia 8 de Agosto de 2007

O avião finalmente desceu. O combinado era que uma prima de 2º grau. (eu não conheço muito o ramo amazonense da família mas tenho quase certeza que ela é prima da minha mãe), porém mal eu chego, ainda no salão de desembarque, eu ligo meu celular e logo ele toca. Era justamente minha mãe, dizendo que, a prima de 2º grau não iria, mas sim outra prima, de 3º grau eu acho.

Bem, a prima de 2º grau eu até conhecia, pois ela vem aqui em Belém vez ou outra (às vezes com a neta ou a filha, que eram tudo o que eu sabia sobre a família no Amazonas). Já a Prima 3º grau era totalmente desconhecida para mim pois só veio aqui uma vez. E eu estava meio que dormindo e não me lembrava de nada exceto de um cabelo loiro.

E foi mais ou menos pelo cabelo que a reconheci. Pois talvez até houvesse outra loira esperando alguém no aeroporto. Mas não acenando daquele jeito. Ela quase pulava em minha direção. Até que eu concluí que só poderia ser ela, pois minha família nunca foi discreta (eu devo ser o mais discreto e ainda assim pintei o cabelo de vermelho). Então fui falar com dita-cuja, só para traqüilizá-la que já tinha chegado.

Entre o vidro que separa o saguão de desembarque e o saguão principal do aeroporto eu expliquei que iria só pegar a minha mala (aquela mesma mala/mochila/casco de tartaruga ninja). Como era lógico e previsível, minha mala/mochila/casco de tartaruga ninja foi uma das últimas a vir pela esteira.

Depois, eu só tive que tomar cuidado para não bancar o primo babaca babando diante da prima gostosa (e consegui não cometer nenhum mico, não sei como! Acho que foi o sono…) e esperar meu tio chegar. Deu até pra lanchar e depois conversar com minha prima. o meu vôo era direto e saiu uma hora e 15 minutos antes do vôo do meu tio, que além de tudo fez uma escala em Santarém. Duas horas e meia depois finalmente ele chega em Manaus. E já era 2h local (3h em Belém) quando cheguei na casa da Prima de 2º grau onde passei o resto da noite.

De manhã a gente foi no terminal e como algo tinha que dar errado a minha carteira de vacinação não foi aceita. Então lá fui eu procurar a ANVISA para tirar uma carteira de vacinação internacional.

No fim das contas, nós ficamos sabendo da situação lastimável do trecho Manaus – Boa Vista e como a diferença entre o ônibus e o avião era de apenas R$ 40,00 resolvemos ir para Boa Vista pelo ar.

Antes de ir eu, meu tio e Prima de 3º grau ainda demos umas voltas até a hora do vôo… Bem lá pela 11h30 da noite eu e meu tio pegamos o vôo para Boa Vista. Engraçado como o avião estava vazio (acho que nem metade dos lugares estava ocupado).

E no próximo capítulo… Finalmente a Venezuela! Aguardem

Eu ia colocar uma foto de Manaus mas tirei só fotos da família, pois tava sem cartão de memória e a máquina só aguenta 39 fotos sem cartão de memória. Pra num dizer que eu estou enrolando, aí vai uma foto que eu acho que tirei na balsa para a ilha de Margarita.

A viagem, parte 1: Antes de chegar…

terça-feira, 21 / agosto / 2007

Ufa, finalmente consegui chegar até aqui! Essa semana foi corrida para mim. Primeiro, a monitoria, já que faltei uma semana, tive que correr para acompanhar, depois o curso de inglês, que também já tinha começado, foi outra corrida… Além do curso de manutenção de periféricos, estágio, outra turma da monitoria, visita a minha vó, etc… Agora que eu já meio que resolvi tudo isso, vamos ao que interessa: a viagem!

Os planos

Essa viagem não foi muito bem planejada. Basicamente, eu estava em Ajuruteua (uma praia próxima daqui) quando meu tio que também estava lá falava dos planos dele de visitar a Venezuela, ainda nessas férias. E comentou que não queria ir só, mas a filha dele não estava afim de ir e conversa vai, conversa vem, ele acabou me chamando para ir com ele. Eu aceitei. Por isso não tive um plano muito elaborado para viagem.

Ele, por sua vez, tinha pesquisado algo e se informado mais. Mas ainda assim, na prática só tínhamos o objetivo de chegar a Isla de Margarita e uma leve idéia de como chegar lá (Avião para Manaus, depois ônibus para Puerto de La Cruz e depois balsa para a ilha).

Dia 7 de Agosto de 2007, terça-feira.

O início de tudo foi nesse dia, há duas semanas atrás, quando acordei eu já estava com o passaporte em mãos e a mochila arrumada, só faltava me vacinar e… comprar as passagens. Mas tudo bem, pois eu já sabia qual era o vôo que eu queria, pois a passagem da TAM era bem em conta na madrugada. E havia bastante vagas naquele vôo.

Infelizmente, eu não fui o único a deixar pra última hora e em meia hora, havia-se esgotado as vagas no avião. Meu tio já tinha sua passagem, mas eu não. Meia hora depois a solução: Eu iria em outro avião! Da GOL. Bem em termos de medo de voar foi como trocar de seis por meia dúzia, mas em aspectos práticos, significou que eu chegaria cerca de 2 horas antes.

Mas eu resolvi ir mesmo assim, e às 9h horário de Belém (que, por curiosidade é o mesmo de Brasília) eu saí de casa pois o vôo era às 11h e eu não queria arriscar, sabe? Logo estava eu, alguns familiares e minha mala/mochila/casco de tartaruga ninja no aeroporto Internacional de Belém. A pista é toda irregular e cheia de buracos, mas o terminal é lindo! Sério, tem até um chafariz dentro, além de todas aquelas loja caríssimas de sempre.

A minha mala/mochila/casco de tartaruga ninja era realmente imensa, tanto que nem pude levá-la comigo, tive que despachar como bagagem. A balança disse que tinha 12kg naquilo, e talvez por isso é que todos me acharam mais magro quando voltei. O caso é que eu estava levando todos os meus pertences (incluído passaporte, carteira, celular e máquina digital) nela, e por isso tive que andar pelo aeroporto com tudo aquilo na mão até chegar comprar uma revista e jogar tudo dentro da sacola.

Então eis que embarco e eis que o avião parte no horário certo. E o vôo foi traquilo, exceto quando eu li uma reportagem na revista falando sobre o acidente da TAM. E 5 minutos depois o avião entra numa leve turbulência. Medo, eu admito que senti muito nessa hora.

No próximo capítulo: Será que o avião vai chegar? E será que me perdi em Manaus? Será que… Ah, eu não sei fazer suspense! Aguarde o próximo capítulo apenas.

PS: Hoje não teve foto, porque obviamente eu não sou tão provinciano a ponto de tirar foto de aeroporto nem agencia de viagem e muito menos de posto de saúde. Grato pela compreensão.

Voltei.

quarta-feira, 15 / agosto / 2007

Desculpa pessoal, mas o post internacional direto da Venezuela não rolou! Por causa da minha absoluta falta de planejamento, inicialmente não tive tempo de parar num cybercafé. E quando finalmente arranjei tempo, a grana estava baixa e vocês não sabem como é difícil achar algum estabelecimento que aceita cartão de crédito. Assim é óbvio que passei por momentos não muitos felizes por lá.

Mas fiquem tranqüilos que eu contarei tudo. Agora não, mas em breve! Ainda tô meio pregado depois de quase 24h dentro do ônibus.

Ah, só pra deixar na vontade, confira esta foto tirada em Isla de Margarita:


Clique na imagem para vê-la em tamanho original

E eu vou!!

terça-feira, 7 / agosto / 2007

Não dá pra falar muito, porque daqui a pouco eu vou ter que ir para o aeroporto para pegar meu vôo para… Manaus!! Não, eu não mudei de idéia a respeito do destino, que continua sendo a Venezuela. Mas para fins de economia monetária eu vou fazer o trecho Manaus – Venezuela de ônibus. Ou carro, se conseguimos.

Até mais ver…

Férias Frustradas?

sexta-feira, 3 / agosto / 2007

Eu devo ter comentado que coisas simples se complicam comigo. Bem, eu estou querendo dar uma voltinha pela Venezuela. Isso não parecia tão complicado, já que a Venezuela entrou pro Mercosul e eu sabia que dava pra ir pra qualquer país do Mercosul apenas com a identidade.

Dava, do verbo não dá mais. Ou melhor, do verbo não dá ainda. Técnicamente a Venezuela faz parte do Mercosul, mas como a entrada é bem recente (no início desse ano), ainda não houve uma mudança na lei venezuelana e por isso ainda é necessário ter um passaporte para entrar na terra do tio Chavez.

Até aí tudo beleza, pois como aqui no Norte nós somos mais pobres, são poucos que pensaram em uma viagem internacional. Assim a fila da Policia Federal estava beeem light. A ficha foi preenchida pela internet, e eu só tive que dedar uma máquina e tirar uma foto. Aí foi era só esperar o passaporte chegar, pois agora ele é feito em Brasília e vem de avião pra cá.

E aí que ele ainda não veio, podia ter chegado a partir de segunda, o prazo máximo era até hoje. E nada do e-mail de confirmação. Eu estou torcendo para que tenha sido um erro no sistema de envio e que meu passaporte esteja lá quando eu for buscar.  Mas como nada é simples, há uma boa possibilidade de ter dado algum problema com alguma documentação minha. Provavelmente o meu certificado de dispensa, já que eu nunca fui pegar a carteirinha que eles dão.

E por isso eu não tenho postado, já que eu esperava fazer uma “cobertura especial” direto da Venezuela, de surpresa, quando já estivesse por lá. Agora já era a surpresa, mas eu ainda planejo postar a viajem, e quando conseguir meu passaporte, eu posto aqui algum mapinha mostrando o trajeto que devo seguir.